Revolução do Amor

Existem tantas histórias bonitas de amor. Cachorros que salvaram seus donos da morte, mães que
tiraram de si mesmas uma força sobrenatural pra salvar seus filhos, bombeiros que salvam centenas,
crianças que ajudam crianças. Tantas e tantas histórias que nos fazem chorar e apenas isso. Essas
histórias nos revelam duas coisas: ainda existe amor e amor não é apenas um sentimento, mas uma
atitude.

Mesmo que eu leia e escute tantas histórias lindas sobre amor, não consigo achar nada tão mais
belo e mais profundo do que o amor de Jesus pela humanidade, mesmo que ajunte todas as
histórias do mundo não seria de tão grande valor como o amor de Jesus. Jesus é a expressão exata
do amor de Deus.

“Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho único para que todo aquele que n’Ele crer
não pereça, mas tenha a vida eterna” João 3.16

Quando olhamos para a vida de Jesus percebemos que existe um amor diferente dos demais. É um
amor exagerado, desesperado, um amor que enfrenta a morte, que perdoa, que nega a si mesmo
e não uma vez ou duas, mas todos os dias e em todo o momento. Jesus negou-se totalmente, não
quis ser achado como Deus ou nem mesmo como Senhor, mas como servo de todos do tipo que lava
os pés dos próprios discípulos. Jesus com seu amor teve atitudes das mais simples como assistir as
necessidades de uma senhora que sofria com uma febre até ir para uma cruz, lá abrir mão de seus
direitos e clamar “Pai, perdoa-os porque não sabem o que fazem” e nessa mesma cruz morrer nú
por amor a você.

Ouvimos com frequência que o amor é belo, mas deixa eu te explicar. Nunca vi ou li algo que
mostrasse Jesus pedindo ou reivindicando alguma coisa. Sempre servindo, sempre abrindo mão
de si. Um homem cheio de dores. Como pode haver beleza em um homem sangrando até a morte
por amor. Onde há beleza em chicoteadas, espinhos, cravos e morte? Onde há beleza em passar
necessidades para que outros sejam supridos? Onde há beleza em abrir mão de seus próprios
sonhos para ver outros sonharem? Onde há beleza no amor? Apenas há beleza em uma coisa, em
saber que esse amor é de Deus e que o próprio Deus é o amor.

“Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e
enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados” 1João 4.10

É lindo esse texto, é vida pra quem lê, digno de ser decorado. Mas esse texto não para por aí, olha o
que diz no verso 11:

“Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros” 1João 4.11

Deus amou dando tudo o que Ele tinha, tudo o que era mais precioso. Isso é lindo, isso é belo,
mas quando nós pensamos e lemos que temos que fazer o mesmo não vemos mais beleza nisso.
No mesmo livro de 1João diz que “quem não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor”. Então
faço uma pergunta: Você conhece a Deus? A resposta vai ser a maneira de como você tem amado
as pessoas. Em que nível você tem amado? Quais são as suas atitudes e motivações? Se não há
uma disposição de morte, esqueça, você não conhece a Deus. Se eu não posso lavar a louça sem
me pedirem, ou ajudar alguém que realmente precisa, ou servir sem cobrar nada, ou até mesmo
perdoar uma dívida por mais alta que ela seja, será que poderei dar a minha vida? Eu preciso
conhecer a Deus, e você?

Talvez em falar que não há beleza no amor e que o amor é sofrimento e morte você fique
desencorajado a amar. Mas deixe me te encorajar a amar, mas a amar ardentemente. Permita que
a chama do amor te consuma por dentro até que você não consiga mais ficar parado do tipo “tenho
que fazer algo por alguém”. Ore por isso, busque isso, peça pra que Deus te consuma em amor.
O fogo queima, deixa marcas, dói. Deixe que as pessoas vejam as marcas do amor em você e que
quando você falar desse amor seus olhos brilhem, seu coração dispare, suas mãos suem frio, pois
tudo o que resta em você é apenas o amor.

“Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras (atitudes) e em verdade (sem
hipocrisia)” 1João 3:18 (em parênteses é comentário meu)

O amor é algo que não começa já morrendo pelo outro, mas é como uma semente que depois de
plantado vai crescendo e crescendo e crescendo até os frutos começarem a nascer. Nesse processo
de crescimento do amor é o processo de conhecimento de quem é Deus e o que Ele fez por nós
naquela cruz. A beleza no amor estára quando descobrirmos que vale a pena sofrer, vale a pena
perder, vale a pena ser perseguido e que vale a pena morrer assim como Jesus morreu.

Deixo mais esses textos para você meditar sobre:

“Já que tendes purificado as vossas almas na obediência à verdade, que leva ao amor fraternal não
fingido, de coração amai-vos ardentemente uns aos outros” 1Pe 1:22

“tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de
pecados” 1Pe 4:8

Sobre Revolução do Amor

Revolução do Amor - Mudando o mundo através do Amor.
Esse post foi publicado em Revolução do Amor. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Revolução do Amor

  1. Priscilla disse:

    Oi querida.
    Que texto lindo.
    Estou profundamente emocionada.
    Você tem razão em todas as suas palavras.
    Apesar do sofrimento que é amar, não há nd mais prazeroso do que isso.
    Beijinhus!!!
    Deus continue abençoando sua vida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s